Páginas

terça-feira, 17 de novembro de 2009

IMPERFEIÇÕES

Que nossos relacionamentos sejam muito mais que as torradas que muitas vezes queimamos ou recebemos assim...já queimei, mesmo sem perceber algumas ao longa dessa vida, mas as pessoas realmente importantes souberam relevar e aceitar as minhas desculpas...o resto...bem, o resto não devia mesmo ser importante para minha vida!!!
Recebi esse texto de uma pessoa muito querida, divido com vcs!



Abraçando a imperfeição




Quando eu ainda era um menino, ocasionalmente, minha mãe gostava de fazer um lanche, tipo café da manhã, na hora do jantar. E eu me lembro especialmente de uma noite, quando ela fez um lanche desses, depois de um dia de trabalho muito duro.

Naquela noite longínqua, minha mãe pôs um prato de ovos, linguiça e torradas bastante queimadas, defronte ao meu pai.
  Eu me lembro de ter esperado um pouco, para ver se alguém notava o fato. Tudo o que meu pai fez foi pegar a sua torrada, sorrir para minha mãe e me perguntar como tinha sido o meu dia na escola.


 Eu não me lembro do que respondi, mas me recordo de ter olhado para ele lambuzando a torrada com manteiga e geléia e engolindo cada bocado.

Quando eu deixei a mesa naquela noite, ouvi minha mãe se desculpando por haver queimado a torrada. E eu nunca esquecerei o que ele disse:

"- Eu até gosto de torrada queimada..."

Mais tarde, naquela noite, quando fui dar um beijo de boa noite em meu pai, eu lhe perguntei se ele tinha realmente gostado da torrada queimada.. Ele me envolveu em seus braços e me disse:

" - Companheiro, sua mãe teve, hoje, um dia de trabalho muito pesado e estava realmente cansada... Além disso, uma torrada queimada não faz mal a ninguém. A vida é cheia de imperfeições e as pessoas não são perfeitas. E eu também não sou um melhor empregado, ou cozinheiro!"

O que tenho aprendido através dos anos é que saber aceitar as falhas alheias, escolhendo relevar as diferenças entre uns e outros, é uma das chaves mais importantes para criar relacionamentos saudáveis e duradouros.

Essa é a minha oração para você hoje: Que possa aprender a encarar o bem, o mal, as partes feias de sua vida, colocando-as aos pés do Espírito Santo.

Porque, afinal, ele é o único que lhe poderá dar uma relação na qual uma torrada queimada não seja um evento destruidor.

De fato, poderíamos estender esta lição para qualquer tipo de relacionamento: entre marido e mulher, pais e filhos e com amigos.

Não ponha a chave de sua felicidade no bolso de outra pessoa, mas no seu próprio.

Veja pelos olhos de Deus e sinta pelo coração Dele; você apreciará o calor de cada alma. Incluindo a sua.







quarta-feira, 23 de setembro de 2009

PRIMAVERA



Com a chegada da primavera e perto de completar 43 anos, essa música (Eu Apenas Queria Que Você Soubesse) expressa exatamente o que tenho sentido, é como o cheiro de lavanda no campo!

"Eu apenas queria que você soubesse
Que aquela alegria ainda está comigo
E que a minha ternura não ficou na estrada
Não ficou no tempo presa na poeira

Eu apenas queria que você soubesse
Que esta menina hoje é uma mulher
E que esta mulher é uma menina
Que colheu seu fruto flor do seu carinho

Eu apenas queria dizer a todo mundo que me gosta
Que hoje eu me gosto muito mais
Porque me entendo muito mais também

E que a atitude de recomeçar é todo dia toda hora
É se respeitar na sua força e fé
E se olhar bem fundo até o dedão do pé

Eu apenas queria que você soubesse
Que essa criança brinca nesta roda
E não teme o corte das novas feridas
Pois tem a saúde que aprendeu com a vida"

(Gonzaguinha)

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

SERÁ QUE PRECISAMOS MESMO DE TUDO ISSO?



Acabei de ver um video, se tiver um tempinho assista com calma, no youtube existem vária versões... uma sugestão aqui  http://www.youtube.com/watch?v=3c88_Z0FF4k . O tempo: 20min, mas nos faz refletir sobre nossa casa, sim nosso casinha,lar, espaço familiar e também sobre nosso papel no PLANETA, que só para lembrar, NÃO nos pertence... Eu tenho conversado muito com minha familia e amigos sobre a necessidade real de certos produtos, sobre a ansiedade que é ter filhos que cobram(muitos conhecem o consumismo já no berço) o comprar, comprar ,comprar...ter, ter, ter. Quando não, os pais valorizam e estimulam esse perfil, afinal não querem filhos "DIFERENTES". Não sou do tipo ecologicamente ou politicamente correta, acho que teria que melhorar muito ainda, e sei que posso fazer mais. Porém,será que justifica numa casa de classe média,ter três ou quatro carros (de preferência grandes e luxuosos) quando só o casal dirige? Cada cômodo com sua TV (no mínimo 42"), celulares de diferentes modelos trocados quase que mensalmente...jogos de video game que perdem sua "validade" em menos de seis meses. Qual a real necessidade de produzirmos tanto lixo,que no conforto dos condomínios/casas são retirados da zona de alcance dos nossos olhos, nos dando a falsa idéia de estar "fazendo nosso parte". Num mundo onde os apartamentos tem lavanderias cada vez menores(assim como as família) as máquinas de lavar roupa tem capacidade de 13-15 kg contra as já superadíssimas de 6 kg que eram produzidas quatro anos atrás...pode?
Sei que não estou sozinha nessas divagações, muita gente tem se questionado sobre quanto tempo isso vai durar.
Realmente não sei, mas acho que podemos fazer pequenas mudanças, sem radicalismos, mostrar para nossos filhos que isso não agrega valores éticos nem morais as suas vidas...que SER ainda é mais fascinante e duradouro que o TER.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

FERNANDO PESSOA

Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final...
Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.
Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.
Foi despedida do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?
Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu....
Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó. Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seus amigos, seus filhos, seus irmãos, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado...
Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco.
O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.
As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora...
Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem.
Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração... e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.
Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.
Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos.
Não espere que devolvam algo,
não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.
Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do "momento ideal".
Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará!
Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa - nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade.
Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante.
Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida.
Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira.
Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é. Torna-te uma pessoa melhor e assegura-te de que sabes bem quem és tu próprio, antes de conheceres alguém e de esperares que ele veja quem tu és..
E lembra-te :
Tudo o que chega, chega sempre por alguma razão.

Fernando Pessoa

Achismo triste...

Ontem vi na TV uma reportagem sobre uma professora que perdeu seu emprego por estar dançando escandalosamente (em sua vida particular e não na escola!) o material caiu na net, virou sucesso... A moça declarou que está aproveitando o momento para mudar de área, vai virar dançarina, fotografar para uma revista masculina, ganhar uma grana que não ganharia nunca como professora. Sei que esse assunto tem rendido, mas tentei avaliar por outro ângulo:
Qual a chance dessa moça como professora ser MODELO para alguma jovem? Nenhuma...
Já como dançarina e "modelo" nua...será o sonho de consumo, o ideal a ser seguido por muitas jovens. Aí me perguntei : Onde está o erro? Sei lá! Acho que na mudança de valores, na inversão de papéis, quem sabe na super valorização do corpo ou na lei de Gerson, onde se pode levar vantagem em tudo, onde o ter é mais importante que o ser, no falso moralismo...
Não estou julgando a escolha da moça, as oportunidades surgem...em momento algum vi alguém defender que ela estava na sua vida privada, quantas dentistas, médicas, advogadas, domésticas, balconistas, empresárias dançavam no mesmo local? Será que ficaram desempregadas também?
É só uma pergunta que não consegui responder sozinha...Chega a ser irônico, pois todas as outras moças podem dançar, menos a professora?
Por outro lado quando uma jovem diz que quer ser professora, os pais tentam de todas as formas mostrar que não vale a pena, que é muito sofrido, ganha pouco...Não entendo, juro que tenho me esforçado! Esse tipo de acontecimento ainda me deixa perplexa e triste!!

Vergonha Nacional

Abra esse link com calma e veja se não dá vergonha de votar!!
http://www.dcomercio.com.br/muco/home.htm
Como vou conseguir mostrar para meu filho de 11 anos a importância do voto, da participação cívica, política...se na grande maioria só o errado aparece e não é corrigido?
Gostaria de entender como os poucos políticos honestos(realmente ainda acredito que eles existam!!) não virem a mesa, assumam o controle, ocupem a casa... A culpa é nossa também, que nos calamos, aceitamos tudo sentados no conforto dos nossos sofás, por muito menos um outro político foi banido (e com razão!) mas já está lá de volta ao poder com força total.
Se conseguimos passar por uma crise mundial de forma "quase ilesos" sendo um país mergulhado em escandalos e corrupções, imaginem como seria se fossemos um país sério!
Não deixo de votar...é minha forma de tentar melhorar, de fazer uma pequena parte. O que precisamos é cobrar dos políticos que NÓS elegemos seriedade e compromisso
.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

VIVENDO E APRENDENDO...


As vezes vivemos situações tão inusitadas, por motivos tão sem importância, que só então percemos como as pessoas são superficiais...uma atitude que não as agrade é motivo para esquecer todas as suas qualidades, os bons momentos, os grandes aprendizados. Passei por uma dessas esse ano (acho que foi a primeira em minha vida..ainda bem!!) e foi então que me lembrei de Cecília Meireles:

" Aprendi com a primavera a deixar-me cortar e a voltar sempre inteira..."

Eu com certeza já voltei inteiramente nova...

terça-feira, 1 de setembro de 2009

DICAS DE LEITURA




Essas são duas boas dicas de leitura(autores:Pierluigi Piazzi e Içami Tiba)...Quando terminar de ler Estimulando Inteligência Prof.Pierluigi Piazzi, divido com vcs.

Novos rumos

Terminei de ler dois livros muito interessantes para educadores...ou seja PAIS, afinal quem educa são os pais, professores são mediadores do ensino/aprendizagem. E percebo ao final da leitura que todo sucesso se resume a algo que como professora e mãe acredito e vivencio:
L I M I T E S e D E D I C A Ç Ã O.
Não existe vitória na terceirização da educação.Toda batalha é vencida dentro de casa com envolvimeno sério de todos, isso vai se refletir no sucesso escolar dos filhos. Bom seria se existissem fórmulas mágicas ou prontas que se aplicassem a todos igualmente...mas aí seria chato e sem desafios. Uma sequencia de acerto e erros, que nos mostram bons caminhos.

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Um bom começo

Legal essa coisa de escrever o que tiver vontade e ainda saber que alguém pode ler e comentar. É uma conversa sem compromisso com o acerto,quero criar um espaço para trocas de ideias,pensamentos,críticas...ou qualquer coisa que vá surgindo no caminho...Não tenho a pretensão de escrever diariamente,mas me comprometo em postar novos textos sempre que possível.Vamos lá! O espaço já está aberto!
Beijocas
Mônica