Páginas

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Entre a Thailandia e o final do ano de 2013

Entre a Thailandia e o final do ano de 2013

Contrariando todas as expectativas negativas dos muitos palpites alheios segui o melhor conselho que recebi da amiga Denise Gomes, abri meu coração para visitar a Thailandia, ou melhor, foi o que fizemos e valeu cada minuto, obrigada De!
Depois de 10 meses no mundo absolutamente bege do Qatar e com uma rotina muito diferente da que sempre tivemos no Brasil aquela de pegar o carro num final de semana e sair meio sem destino apenas dando uma volta e conhecendo os arredores de onde morávamos ou mesmo os pontos turísticos da cidade ou cidades vizinhas, rodar um pouco e estar em lugares diferentes, disso sinto falta! Aqui isso não existe, em apenas 24 horas se conhece totalmente o país e tenha certeza, sem mudar em nada a cara da paisagem. Chegar ao mundo verde da Thailandia foi como vir à tona, ganhar folego apos um longo mergulho nas areias, as flores diversas entre elas a maioria orquídeas (maravilhosas) espalhadas por Krabi e Bangkok, as cidades abundantemente arborizadas, pequenas florestas urbanas ao longo das estradas e o cheiro do mato nos remete ao que temos na lembrança do litoral catarinense dos anos 80-90 hoje não sei mais como esta.

Se você pretende conhecer esse país se organize, pois vale a pena, talvez não tenha sido o lugar mais lindo que conhecemos, mas nesse momento foi perfeito e adoramos. Nosso roteiro era despretensioso e começamos por Krabi sem nada planejado apenas com reserva de voos e hotéis e fizemos uma escolha acertada, preferimos a liberdade de estar no continente e fazer os passeios ao longo dos dias, ao ficar nas ilhas, mais limitado dependendo dos horários de embarcações, mares e em alguns momentos o estomago reclama do movimento do mar. A cidade tem uma ar bem praiano aquele cheio de feirinhas, barzinhos, restaurantes e muita, muita oferta de massagem e serviços de entretenimento sexual, mas se seu proposito não for esse nem vai notar. Muitas famílias com crianças e idosos, apesar do país não ter estrutura para recebê-los bem como os portadores de necessidades especiais, nem na capital existe preparo para cadeirantes ou outras limitações de locomoção. Esteja preparado para andar muito e abuse dos tuk tuks! A água é cristalina mesmo perto da praia, muitos peixes, corais, paredões calcários e várias opções de passeios e lazer os preços bastante atrativos garante que consiga fazer muitos programas diferentes de ilhas a elefantes e ate mesmo a roubada da tal Emerald Pool, fuja!
A ida para a Bangkok nos fez sentir um pouco em São Paulo, só que mais verde e mais limpa, sim bem mais limpa contrariando os pessimistas... Um trânsito sem comparação com nada que conhecíamos motos, carros, taxis, ônibus antigos e muitos tuk tuks tudo absolutamente indisciplinado e sem controle, mas para nossa surpresa não vimos nenhum acidente ao longo desses dias e segundo alguns motoristas eles são muito raros de acontecer, pois como não existe muita regra cada um se cuida e eles são generosos dando a vez para os outros, mas se estiver caminhado pelas calçadas redobre a atenção, pois motos as transformam em pista sem nenhuma cerimonia e ainda acham ruim se vc demorar muito a sair da frente! Atravessar uma rua pode ser uma grande aventura! Nunca mais reclamo do trânsito de Doha! Esteja pronto para negociar tudo e seja cara de pau, pode oferecer até a metade do preço cobrado e mesmo quando vc achar que fez um grande negócio pode ter certeza que vai encontrar uma surpresa na frente, chega a ser divertido aproveite! A língua é uma limitante nas ruas, pois quase ninguém fala inglês e nem todas as placas tem indicações para turistas e mesmo nos hotéis por vezes fica complicado. Brasileiros não dirigem aqui.

Os templos são um capitulo a parte o primeiro foi em Krabi, o Tiger Cave Temple (Wat Tham Sua) com mais de 1200 degraus para subir e ver vários budas, eu juro que estava disposta a encarar o exercício, mas ainda no começo quando aqueles macacos começaram a cruzar pelas minhas pernas entrei em pânico e acabei esperando os meninos lá em baixo, maior roubada, um lugar bem sujinho onde os primatas mordem turistas exibidos (ate achei bom!), roubam a comidas das crianças, se penduram em longos cabelos soltos e disputam cada pedaço de lanche entre si aos gritos... Meu, eu devia ter subido! Bem, enquanto esperava por eles tive tempo de acompanhar a vida que passava, entrei na tal caverna do tigre, com muitas imagens douradas até me deparar com um monge bebendo Coca Cola primeira decepção ahahah. Fui tentar visitar o banheiro, sem chance, além do famoso buraco me deparo com um primata agitando por lá! Nessas horas sempre renovo minha fé! Em Bangkok os muitos templos visitados são sim muito legais e muitas coisas diferentes da nossa formação cultural, porem o fundo é sempre o mesmo comercial... Caixas de donativos espalhadas pelos templos, vendas de quinquilharias mil, pedidos para construção de casas para monges (tipo alto padrão), construções de novos templos (mais?), monges de iphone, ipad e postando fotos no facebook segunda decepção ahahah. Se até eles podem podemos ficar tranquilos, nem tudo está perdido!
Nas ruas próximas de onde estávamos em Bangkok acontecia uma feira da madrugada das 4 às 9 horas de roupas populares, aonde o povo vem comprar e leva para revender em cidades/bairros mais afastadas, claro que fui ver de perto caminhar pelos labirintos da tal feira, nunca tinha visto nada assim, nos perdemos pelas vielas, atravessamos o rio varias vezes em diferentes pontos entre casas (muitas pessoas moram coladas ao rio, e não são as palafitas são casas simples, mas boas) e comércios que abrem suas portas às 9 horas, não imagino que seja diferente de muitas favelas brasileiras com uma diferença, aparentemente segura! Não sentimos medo de estar caminhado pelo desconhecido, aliás, a cidade nos pareceu relativamente tranquila, apesar dos vários pontos em que encontramos avisos para ter cuidado com bolsas.

Se vc for um turista do tipo consumista vai poder aproveitar bem Bangkok com inúmeros shoppings entre luxo e muita pirataria, agitação noturna aproveite e conheça os lugares de metro e sky trem, não deixe de passear de barco pelo rio entre as casas, a comida é boa sim e barata basta escolher bons restaurantes, as frutas mais doces que já provei, evite as coisas de rua ( tenho certeza que vc não terá coragem de comer na rua, só o cheiro da comida já é um bom regulador de apetite!), água sempre comprada em lugares descentes. E esteja pronto para um eventual piriri, pois visitar esses países e não acabar com uma virose é prêmio... Ahah. Para nossa sorte só Manfredo passou mal uma noite e o Fred passou um dia meio mareado, mas nada que atrapalhasse o passeio.
E nesse ano de muitas descobertas (nem todas positivas!), medos, saudades, preocupações e mudanças foi realmente um presente essa viagem. Tivemos a certeza que o nosso Brasil apesar de todos os problemas é maravilhoso e está sim muito mais preparado que outros lugares, que será sempre nosso porto seguro e que nada tem mais valor que a família unida. No voo de volta presenciamos uma cena absurda que em outro momento comento, mas que nos mostrou um filho de coração muito maior do que imaginávamos, ou seja, ainda conhecemos mais um lado do nosso grande presente Frederico! 
A saudade foi nossa maior dificuldade ao longo desse ano e receber as fotos do pessoal no Brasil foi maravilhoso... Bom saber que temos sempre um abraco nos esperando mesmo tao longe!


Que 2014 venha com muita saúde e paz. Que amar uns aos outros seja nosso dia a dia!