Páginas

quarta-feira, 7 de março de 2012

AS MULHERES DA MINHA VIDA



Pois é temos um dia só nosso e nem sabemos bem o que fazer com nosso dia a dia, muitas conquistas e muito ainda há por fazer. Hoje tenho certeza que sou uma grande colcha de retalhos, delicadamente trabalhada por muitas mãos femininas, que me fizeram ser uma pessoa mais humana, crítica quando precisa e acolhedora em outros momentos, que me mostraram que tudo sempre é um grande aprendizado e que cair nem sempre é ruim, pela doçura, pela generosidade, pela dignidade, pela força, pela vaidade, pela preguiça, pelo abraço, pelas fofocas, pela sensualidade, pela maternidade voraz... E por muito mais.

A mais marcante de todas elas é minha mãe que me fez ver que até no sofrimento é preciso ter dignidade e doçura, ser firme sem ser agressivo, não se desesperar nunca, estar pronta para ajudar ao próximo e não se deixar invadir. Sei que ela paga um preço por ser tão ela dentro dela, mas sempre nos deu asas, nos deixou fazer escolhas e estava pronta para juntar nossos pedaços para ser colo que acolhe. Mãe é a mulher mais completa na nossa vida!! Minhas avós que eram bem diferentes, mas sempre um aprendizado uma oração. Minhas muitas tias e primas vários estilos e talentos.Minhas madrinhas de batismo e crisma que com suas máquinas de costura me encantam sempre!!

Minha irmã amada Jacqueline que mesmo sem saber é responsável por muito do que sou, sua força que não sei de onde vem, aparência frágil e uma mãe leoa, seu incansável talento e dedicação aos estudos, por ser mais permissiva com as crianças. Por me levar para uma grande escola e me deixar a difícil responsabilidade de ser a irmã da professora mais amada pelos colegas e alunos... Foi maravilhoso e te amo muito!

Minha irmã/cunhada Selma com sua entrega incondicional aos nossos anjos, pelas dores e amores que passamos e pela generosidade. Minha cunhada Ingrid pela ousadia, pelo desapego e pela garra. Minha sogra que me permitiu ver que cada um tem seu jeito de demonstrar amor, por mais diferente que seja e que respeito é uma forma de amor.

Minhas sobrinhas amadas Melanie, Sabine, Valentina e Fernandinha que me permitem ser um pouco “mãe de menina”, pelos pinheirinhos de papel, olhinhos arregalados, cachinhos embaraçados, pelos colinhos e cheirinho de menina em casa, pelas bonecas, lacinhos e vestidos!

Minhas amigas de escola, de faculdade, de trabalho mãe de amigos do meu filho que são mais que queridas, minhas vizinhas especiais ao longo das muitas mudanças – com quem em muitos momentos ouvi e aprendi e em outros fui ouvida e até ensinei. As professoras que tive nas quais me espelhei, as professoras do meu filho com as quais dividi dúvidas e vitórias. As mães de algumas amigas que se tornaram um pouco minha em alguns momentos. Minha ajudante em Porto Alegre, Leda que me ensinou que ser feliz é uma escolha nossa, que filhos são capazes de arrancar uma força inacreditável de cada mulher.

Sinto-me uma mistura de todas elas, aberta a receber novos pedacinhos ou quem sabe precisando pegar mais delas, dizer a cada uma que me são especiais seria impossível, então queria agradecer a todas as MULHERES que passaram pela minha vida e  me permitiram ser o que sou.

PS: Agradeço a Deus por ter colocado na minha vida homens maravilhosos que foram exemplo como meu pai, meu irmão que amo muito, meu marido mais que companheiro, meu filho, meus sobrinhos queridos e meus amigos. Obrigada pelo carinho, respeito e admiração. Isso me permitiu ser uma mulher sem ressentimentos ou mágoas masculinas.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

FIDELIDADE - CADA UM NA SUA!!


Nossa faz um tempão que não me manifesto,tenho estado um pouco mais comigo, na verdade estou tentando me resgatar de algumas coisinhas, mas como se diz: no fim tudo sempre acaba bem ou ainda não é o final! Vamos lá que depois do carnaval começa um novo ano e 2012 merecer ser tudo de bom...afinal corre o risco de tudo acabar!! ahahha
Eu tenho lido algumas coisas legais outras nem tanto sobre relacionamentos e não sei se tenho "moral" para comentar o assunto mas vamos lá...afinal estou num casamento de quase 21 anos do qual tenho um certo orgulho, ainda nos amamos, nos desejamos e fazemos planos para o futuro mais distante, espero poder envelhecer ao lado desse parceiro maravilhoso.
Um amigo querido sempre partilha uns artigos meio polêmicos sobre fidelidade e casamento, com alguns tenho até uma  simpatia, com outros faço questionamentos e até mesmo rejeito alguns e a maioria é sobre fidelidade. 
Essa é uma palavra muito pesada, dominadora, quase agressiva para algumas pessoas se usarmos o significado real dela, mas para outras pessoas ela é uma palavra tão sem sentido, insignificante mesmo, que não pesa em nada, já foi incorporada no ser. Como tudo na vida as coisas/palavras apresentam o significado que damos a elas, cada um pode encontrar sua resposta.
Não temos o direito de julgar as pessoas pois não estamos nos relacionamentos delas, não dividimos a cama, a casa e o coração...
O que é então ser fiel? Você é fiel? Você quer alguém fiel ao seu lado? Qual o significado dessa palavra para seu relacionamento? Para vc e seu parceiro essa palavra possui o mesmo sentido?
Pois então, é muita coisa junto para pensar vou colocar algumas pequenas coisinhas para instigar essa reflexão... Fidelidade é diferente de lealdade, fidelidade não é sinônimo de felicidade, fidelidade não garante amor eterno, nem casamento feliz.
Fidelidade pode ser um compromisso com vc mesmo. Uma postura que se adota ou não. Fazer essa escolha é uma opção e não uma obrigação. Quando falamos de fidelidade logo associamos a traições, amantes, paixões tórridas, promiscuidade, sexo selvagem!! 
Será mesmo? Acho que não é nada disso, mas é o que recebemos na mídia, na formação religiosa(seja ela qual for), na cultura familiar e na tal moral para ser admirada pelos outros - a tal sociedade. 
Só um casal (seja ele formado da forma que quiser) pode saber o valor da fidelidade nas sua relação, só aos envolvidos na relação cabe saber o que é certo ou errado, o que é aceitável, pouco permitido ou totalmente proibido. É por isso que acho que não se comenta a vida íntima com amiga/os, nas conversas de mesa de bar ou festa, na dúvida procure um terapeuta (e corres o risco de receber a carga moral dele). 
Uma boa relação não é perfeita, ela tem momentos felizes,tristes, quentes, frios, próximos a alguns até distantes, mas só o casal pode saber o que aceitar, o que perdoar se for o caso - se é que alguma coisa precisa de perdão!
Na verdade a fidelidade está no nosso comprometimento com o outro, não no compromisso assumido com o casamento(o tal papel-aliança). O que não nos impede de ter outros sentimentos, desejos,sonhos. Mas de pesar se vale a pena tentar ou não...mas as regras precisam estar bem claras para ambos.     Aí, é viver!!
OBS: Não gosto dos artigos que dizem que os homens são infiéis por natureza genética ou necessidade biológica, e que as mulheres são infiéis por carência e espaço deixado pelo companheiro. Me poupe disso, hoje os gêneros podem expressar seus desejos/escolhas da mesma forma e pelo mesmo motivo: PRAZER!! Se vale a pena aí é outro texto....rs