Páginas

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Vale ler

Vale a pena ler esse texto, repensar atitudes e se colocar de maneira firme e afetiva perante os filhos!!Nós adultos somos responsáveis pelo LIMITE
http://ombudsmae.blogspot.com/2010/03/mamae-quero-ser-sexy.html

terça-feira, 27 de abril de 2010

PRESERVAR A VIDA

INTOLERÂNCIA
Até quando vamos ouvir tantos casos de intolêrancia, preconceito, raiva, ódio seja lá o nome que receba, em silêncio? Semana passada duas noticias me inquietaram por demais, uma sobre a lei que está para ser aprovada em um país Africano que pune com pena de morte o homossexualismo (já aprovada em vários outros, diga-se de passagem) e o artigo repugnante do "jornal" da Faculdade de Farmácia de USP, também incitando violência aos homossexuais.
Qual o direito que nós pobres mortais temos para julgar, rotular, humilhar um outro ser humano? Em que momento se perdeu totalmente o respeito pela vida? Vivemos num mundo de alta tecnologia, medicina de ponta, aumento da longividade,as fronteiras quase que se extinguiram com a internet e tantas outras coisas boas e ainda guardamos tanta indiferença por nosso semelhante.
Não faço aqui uma defesa a qualquer grupo especial, mas parto do principio de preservação da vida.
PRESERVAR A VIDA é o foco principal de qualquer um: negros,brancos,heterossexuais, homossexuais, religiões diversas, classes trabalhistas, políticas, famílias...
O que me deixa ainda mais preocupada é quando ouço crianças/jovens repetindo frases de ódio que escutam dentro do conforto de seus casas, com pais que se julgam "esclarecidos e preparados". Jovens privilegiados que estão em boas escolas/universidades, e com  mais oportunidades de sucesso profissional, cheios de rancor, intolerâcia e preconceitos. O que será das próximas gerações? Quem vai esinar respeito, amor, afeto,companheirismo para essa meninada? Quem vai impor com mãos firmes limites a toda essa geração?
É muito mais fácil jogar as pedras, ainda mais quando são anônimas como no jornal virtual da USP, se escondem no grupo, ninguém é responsabilizado. Uma forma mais velada desse ódio todo é um outro assunto que as escolas preferem fingir que não existe o bulling, trazendo marcas profundas em que é perseguido.Esse com certeza será um novo texto!