Páginas

terça-feira, 16 de novembro de 2010

ENTRE SOL E LUA

DIVIDO COM VOCÊS O TEXTO DO MEU FILHO, PREMIADO COM O 2º LUGAR NA
 V OLIMPÍADA DE REDAÇÃO DA ESCOLA!
É MUITO BOM PERCEBER QUE AS SEMENTES QUE CAEM EM SOLO BEM PREPARADO GERMINAM COM MAIS FORÇA... ACHO QUE É O RESULTADO DAS MARAVILHOSAS NOITES DE LEITURA EM FAMÍLIA, DOS MUITOS LIVROS PRESENTEADOS AO LONGA DESSES 12 ANOS.


ENTRE SOL E LUA

Se eu fosse o Sol

muito quente seria

e pela Lua

me apaixonaria.

Seria um amor estranho

eu, radiante e luminoso

ela, um simples satélite de amor.

Todo o dia seria ensolarado

porque eu estaria apaixonado.

Diria à Lua que lhe dou minha luz

pois sua beleza me conduz.

Tantas luas de planetas

mas só um amor me espera

eu amo mesmo

a Lua da Terra.

A bela Lua

minha feiticeira seria

pois com seus feitiços

apaixonado me deixaria.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

LÁ VEM A GENTILEZA OUTRA VEZ!

A gentileza é a essência do ser humano. Quem não é suficientemente gentil não é suficientemente humano. Joseph Joubert

Depois de um longo silêncio da escrita fui instigada/cobrada a pensar sobre pequenos gestos do nosso dia comum, por que será que deixamos de ser gentis com as pessoas que mais amamos e que convivemos diariamente? A rotina de levantar cedo,café, banho,organizar mochilas, bolsas, horários muitas vezes nos leva a mal dizer bom dia, nem percebemos que o beijo fica quase automático e o abraço quase esquecido.
Isso não é por indiferença ou fim do amor...é mesmo coisa de falta de percepção, é uma questão de diminuir o ritmo, de deixar o tempo correr mais lento...é acordar cinco minutos antes e se aconchegar no parceiro é deitar na cama do filho e acordá-lo com muitos beijos e só então começar a rotina.
Quantas vezes deixamos isso para as pessoas estranhas? Chegamos no trabalho ou na escola e abraçamos e beijamos nossos colegas ou no prédio quando encontramos um vizinho querido...o sorriso é sempre a acolhida para essas pessoas.
Me desafiei a fazer para os meus de casa o que faço para as pessoas que nem conhecemos tão bem, me permiti desacelerar- Dizer bom dia com calma, organizar as coisa a serem feitas de modo que o tempo sempre seja suficiente para o carinho, o beijo e o longo abraço matinal.
Percebi que o dia flui muito mais leve, tenho mais tempo para ouvir e até para falar...rs e como falo!
Deixei de dar importância as coisa que não tem mesmo poder de mudar minha vida, e descobri que posso ser muito mais gentil comigo e com os outros...percebi  também que isso só tem resultado se começamos dentro de nós, que não depende do outro ser gentil com a gente.
A frase GENTILEZA GERA GENTILEZA não é um acaso é uma constatação, ser gentil nos torna seres mais generosos, mais tolerantes, é a tal ação e reação que sempre ouvimos na escola. É o respirar fundo e pensar antes de reagir, é não gastar energia sem razão.
O negócio é praticar, falta muito ainda, mas estou muito feliz nesse exercício diário.
Que tal você também tentar?
Depois me conta se valeu a pena!

PEQUENOS GESTOS PODEM FAZER GRANDES MUDANÇAS



terça-feira, 3 de agosto de 2010

EDUCAÇÃO É EXCLUSIVAMENTE RESPONSABILIDADE DOS PAIS

DEPOIS DE UM LONGO TEMPO SEM POSTAR UMA LINHA SE QUER, HOJE APÓS UM DIA LONGO E CANSATIVO, ME PERCO  AGORA NAS MINHAS DIVAGAÇÕES.
-QUAL O REAL VALOR DOS PAIS ( E AQUI LEIA-SE QUEM VIVE A VIDA COM A CRIANÇA, PAIS, AVÓS, TIAS...) NA FORMAÇÃO DO CARATER DO ADULTO?
NÃO QUESTIONO LEIS, NEM A FORMA QUE CADA UM ESCOLHE PARA EDUCAR SEUS FILHOS,NÃO ACEITO VIOLÊNCIA CONTRA QUALQUER FORMA DE VIDA, ACREDITO NO "SER" HUMANO MESMO COM TODAS AS  SUAS LIMITAÇÕES. MAS QUERIA ENTENDER QUAL SERÁ O RESULTADO DE TANTA PERMISSIVIDADE E LIBERDADE DESASSISTIDA,QUE NOSSOS JOVENS VEM RECEBENDO.
COMO VAMOS LIDAR COM ESSES ADULTOS QUE NÃO APRENDERAM A  ASSUMIR RESPONSABILIDADES, CUJOS PAIS  INSISTENTEMENTE JOGAM AS SUAS SUJEIRAS PARA BAIXO DO TAPETE, ENSINAM A JOGAR A CULPA EM OUTROS PARA SE LIVRAREM DAS PUNIÇÕES, DESRESPEITAM REGRAS SIMPLES DE BOA CONVIVÊNCIA?
SOU UMA OTIMISTA, PRECISO CONTINUAR A ACREDITAR QUE AINDA EXISTEM "BONS PAIS", QUE ENSINAM COISAS SIMPLES MAS DE MUITO VALOR COMO RESPEITO, LIMITES, AMIZADE, FAMÍLIA, RELIGIÃO, ÉTICA, E TANTAS OUTRAS QUE APRENDEMOS.
 QUERO ACREDITAR QUE NÃO SOU A ÚNICA A DIZER "NÃO" QUANDO FOR NECESSÁRIO PARA PROTEGER MEU FILHO, NÃO QUERO SER A ÚNICA A DAR IMPORTÂNCIA A REGRAS BÁSICAS DE ETIQUETA E GENTILEZAS, NEM DE TOMAR PARA MIM A RESPONSABILIDADE DE "PUNIR" OS ATOS INADEQUADOS, MOSTRANDO QUE O NOSSO DIREITO ACABA QUANDO COMEÇA O DO NOSSO SEMELHANTE.
ME SINTO MUITAS VEZES UM "E.T", É COMO SE EU ESTIVESSE INDO PARA O NORTE ENQUANTO TODOS VÃO PARA O SUL. FICO INDIGNADA QUANDO ME DIZEM: - AGORA É ASSIM, ELES(CRIANÇAS)PRECISAM TER PRIVACIDADE.
OPA! PRIVACIDADE É UMA CONQUISTA QUE SÓ VEM COM A MATURIDADE, E DEVE VIR DE MÃOS DADAS COM A RESPONSABILIDADE. OS PAIS QUE ACREDITAM NESSA "PRIVACIDADE" ESTÃO TIRANDO DE SI A RESPONSABILIDADE E ACEITANDO OS RISCOS DESSA ATITUDE.
O QUE FAZER ENTÃO? VOCÊS NÃO SEI, QUERIA UMA RECEITA BEM DETALHADA PARA PODER SEGUIR. EU!BEM, EU VOU TENTAR SEGUIR RUMO NORTE, ACREDITANDO QUE SER EDUCADOR(AQUELE QUE CITEI NO INICIO) É ESTAR ATENTO, PRÓXIMO, DISPONÍVEL,DEIXAR CLARO OS LIMITES, MOSTRAR OS RISCOS, SABER QUE SEMPRE PODEMOS ESCOLHER DOIS CAMINHOS, E QUE SÓ UM DELES É O CORRETO.
QUE MUITAS VEZES VAMOS ERRAR, E QUE TEREMOS QUE AGUENTAR FIRMES AS CONSEQUENCIAS.

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Vale ler

Vale a pena ler esse texto, repensar atitudes e se colocar de maneira firme e afetiva perante os filhos!!Nós adultos somos responsáveis pelo LIMITE
http://ombudsmae.blogspot.com/2010/03/mamae-quero-ser-sexy.html

terça-feira, 27 de abril de 2010

PRESERVAR A VIDA

INTOLERÂNCIA
Até quando vamos ouvir tantos casos de intolêrancia, preconceito, raiva, ódio seja lá o nome que receba, em silêncio? Semana passada duas noticias me inquietaram por demais, uma sobre a lei que está para ser aprovada em um país Africano que pune com pena de morte o homossexualismo (já aprovada em vários outros, diga-se de passagem) e o artigo repugnante do "jornal" da Faculdade de Farmácia de USP, também incitando violência aos homossexuais.
Qual o direito que nós pobres mortais temos para julgar, rotular, humilhar um outro ser humano? Em que momento se perdeu totalmente o respeito pela vida? Vivemos num mundo de alta tecnologia, medicina de ponta, aumento da longividade,as fronteiras quase que se extinguiram com a internet e tantas outras coisas boas e ainda guardamos tanta indiferença por nosso semelhante.
Não faço aqui uma defesa a qualquer grupo especial, mas parto do principio de preservação da vida.
PRESERVAR A VIDA é o foco principal de qualquer um: negros,brancos,heterossexuais, homossexuais, religiões diversas, classes trabalhistas, políticas, famílias...
O que me deixa ainda mais preocupada é quando ouço crianças/jovens repetindo frases de ódio que escutam dentro do conforto de seus casas, com pais que se julgam "esclarecidos e preparados". Jovens privilegiados que estão em boas escolas/universidades, e com  mais oportunidades de sucesso profissional, cheios de rancor, intolerâcia e preconceitos. O que será das próximas gerações? Quem vai esinar respeito, amor, afeto,companheirismo para essa meninada? Quem vai impor com mãos firmes limites a toda essa geração?
É muito mais fácil jogar as pedras, ainda mais quando são anônimas como no jornal virtual da USP, se escondem no grupo, ninguém é responsabilizado. Uma forma mais velada desse ódio todo é um outro assunto que as escolas preferem fingir que não existe o bulling, trazendo marcas profundas em que é perseguido.Esse com certeza será um novo texto!

segunda-feira, 1 de março de 2010

O QUE OS OUTROS PENSAM DE VOCÊ NÃO É DA SUA CONTA!


O QUE OS OUTROS PENSAM DE VOCÊ NÃO É DA SUA CONTA!

Quando li essa frase parei e pensei: “Caramba! É bem verdade!” Se nos ocuparmos com isso vamos desperdiçar energia, e deixamos de ser nós mesmos. Quem quer agradar a todos acaba por não agradar a ninguém, e isso é fato.

Vivemos em sociedade e é inevitável pensarmos no outro, e não é errado, mas não podemos perder nossa identidade, nem abrir mão de nossa individualidade (não tenha medo de ser um pouco egoísta!), pois só estaremos bem com o outro se estivermos em paz conosco.

Não conseguimos ignorar os comentários... Alguns positivos outros nem tanto e nem sempre diretos e honestos, são muitas as escolhas que fazemos: estilo de vida, educação de filhos, ser mãe em tempo integral ou profissional de sucesso, ter uma família com hábitos diferentes da maioria, passar tardes com amigas ou ler um bom livro, seja qual for a escolha seremos criticadas ou elogiadas, e aí nos cabe, fazer uma seleção do que nos faz sentir melhor,sem sermos influenciáveis.

Mas uma coisa é significativa em tudo isso, estar feliz nos deixa menos vulnerável à opinião do outro. O que muitas vezes incomoda as pessoas é a disposição que alguns possuem para ser feliz, se permitem viver bem. Não existe aqui relação com poder ou possuir, apenas SER!

SER Feliz,

SER confiante,

SER segura,

E TER perto de si pessoas com a mesma disposição.

Então vamos lá! Relaxe e viva sem se preocupar com o que os outros pensam sobre você!

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

SER GENTIL É MAIS DO QUE UMA CARACTERÍSTICA: É UMA ATITUDE PERANTE A VIDA.

  Uma pessoa muito querida me sugeriu um texto sobre gentileza, foi quando me dei conta de que a correria de nosso dia, as preocupações e conflitos pessoais nos tirou aquilo que aprendemos em casa com nossos pais e avós, e que nossas professoras de séries iniciais reforçavam. Percebi que usar “bom dia”, “boa tarde”, “boa noite”, “obrigado”, ”por favor,” “desculpe” e “com licença” é uma forma educada e indispensável de se viver, porém, essas mesmas palavras de maneira delicada e acompanhadas de um sorriso passa a ser uma GENTILEZA. E o que é isso? Ser gentil é um atributo muito mais sofisticado e profundo do que ser educado ou cumprir regras, porque embora possamos ser educado, a gentileza é uma característica relacionada com caráter, valores e ética; é uma forma de contribuir para um mundo mais humano e eficiente para todos. De nada nos serve falar e não praticar, gentilezas facilitam nossas vidas, diminuem conflitos, abrem portas, melhora humores, faz o dia ser mais feliz, em conseqüência, nos tornamos melhores.
   Uma forma simples de ser gentil é pensar sempre: “Como você gostaria de ser tratado?” Essa pergunta cabe em todas as nossas atitudes, produz em nós a capacidade de ver o “outro” com respeitar e aceitação. Enquanto pensava nesse texto lembre um episódio vivido quando meu filho tinha apenas três anos, ao entrarmos no elevador ele todo sorridente disse em alto e em bom som para um casal que já estava no mesmo: “BOM DIA”! No qual se seguiu um silêncio terrível, ele muito entristecido me falou baixinho, mãe, eles não responderam. Eu da mesma forma respondi:- Meu filho, você fez a sua parte, continue assim, não deixe de ser alegre e gentil. O tempo passa e sempre faço meu filho relembrar essa situação, ou seja, ser gentil não pode depender do outro, não pode ser uma moeda de troca, tem que ser uma escolha pessoal, um entendimento de que podemos fazer a nossa parte e contribuir sim para um mundo melhor. Ser gentil é saber que “gentileza gera gentileza”. Se alguém foi áspero contigo, seja gentil com ele. Ser gentil é saber colocar-se no lugar do outro para encontrar a melhor forma de responder a uma indelicadeza, sem ser indelicado, mas deixando claro que não gosta de ser tratado de tal forma.
    Não confundam, por favor, GENTILEZA com falsidade, seja autêntico, tenha sua opinião bem formada, não precisa ser “Maria vai com as outras”, ”bobo” ou qualquer outro adjetivo. Ser gentil é não falar em tom de deboche e gozação que o novo corte de cabelo de seu colega não ficou bom. É discretamente avisar sua amiga que está com um temperinho nos dentes, sem que todo o departamento saiba, é sorrir para as pessoas da limpeza, o porteiro, o zelador...é não rir da desgraça alheia, não sentir prazer no sofrimento do outro.
   Nosso tom de voz faz também uma diferença enorme, eu sempre usei o seguinte exemplo com meus alunos: Se eu chego aqui e digo “BOM DIA” de forma alegre, firme e sorridente, terei mais chance de conquistar vocês, se eu chego e uso exatamente as mesmas palavras de maneira grosseira, ríspida e mal humorada, o resultado será bem diferente, e nosso dia fica determinado pelo tom de voz que foi usado no inicio.
  Esse assunto renderia muitas e muitas páginas, basta lembrar pequenos gestos de nosso dia para percebermos que muitas vezes nem notamos que fomos INDELICADOS, e que se nossa atitude inicial tivesse sido diferente, a resposta seria outra com certeza.
   Leonardo Boff tem uma frase maravilhosa: “Não serão nossos gritos a fazer a diferença e sim a força contida em nossas mais delicadas e íntegras ações”.

  Rosana Braga, Escritora, Jornalista e Consultora em Relacionamentos, em seu livro “O poder da gentileza”, nos dá 10 dicas para facilitar a prática da gentileza. Diz ela: “Creio que se conseguirmos incorporar pelo menos algumas dessas ações, nossa vida já se tornará bem mais leve e gostosa.”
1. Tente se colocar no lugar do outro. Isso o ajuda a entender melhor as pessoas, seu modo de pensar e agir.
2. Aprenda a escutar. Ouvir é muito importante para solucionar qualquer desavença ou problema
3. Pratique a arte da paciência. Evite julgamentos e ações precipitadas.
4. Peça desculpas. Isso pode prevenir a violência e salvar relacionamentos.
5. Pense positivo. Procure valorizar o que a situação e o outro têm de bom e perceba que este hábito pode promover verdadeiros milagres.
6. Respeite as pessoas quando elas pensarem e agirem de modo diferente de você. As diferenças são uma verdadeira riqueza para todos.
7. Seja solidário e companheiro. Demonstre interesse pelo outro, por seus sentimentos e por sua realidade de vida
8. Analise a situação. Alcançar soluções pacíficas depende de se descobrir a raiz do problema.
9. Faça justiça. Esforce-se para compreender as diferenças e não para ganhar, como se as eventuais desavenças fossem jogos ou guerras.
10. Mude a sua maneira de ver os conflitos. A gentileza nos mostra que o conflito pode ter resultados positivos e ainda tornar a convivência mais íntima e confiável.