Páginas

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

SER GENTIL É MAIS DO QUE UMA CARACTERÍSTICA: É UMA ATITUDE PERANTE A VIDA.

  Uma pessoa muito querida me sugeriu um texto sobre gentileza, foi quando me dei conta de que a correria de nosso dia, as preocupações e conflitos pessoais nos tirou aquilo que aprendemos em casa com nossos pais e avós, e que nossas professoras de séries iniciais reforçavam. Percebi que usar “bom dia”, “boa tarde”, “boa noite”, “obrigado”, ”por favor,” “desculpe” e “com licença” é uma forma educada e indispensável de se viver, porém, essas mesmas palavras de maneira delicada e acompanhadas de um sorriso passa a ser uma GENTILEZA. E o que é isso? Ser gentil é um atributo muito mais sofisticado e profundo do que ser educado ou cumprir regras, porque embora possamos ser educado, a gentileza é uma característica relacionada com caráter, valores e ética; é uma forma de contribuir para um mundo mais humano e eficiente para todos. De nada nos serve falar e não praticar, gentilezas facilitam nossas vidas, diminuem conflitos, abrem portas, melhora humores, faz o dia ser mais feliz, em conseqüência, nos tornamos melhores.
   Uma forma simples de ser gentil é pensar sempre: “Como você gostaria de ser tratado?” Essa pergunta cabe em todas as nossas atitudes, produz em nós a capacidade de ver o “outro” com respeitar e aceitação. Enquanto pensava nesse texto lembre um episódio vivido quando meu filho tinha apenas três anos, ao entrarmos no elevador ele todo sorridente disse em alto e em bom som para um casal que já estava no mesmo: “BOM DIA”! No qual se seguiu um silêncio terrível, ele muito entristecido me falou baixinho, mãe, eles não responderam. Eu da mesma forma respondi:- Meu filho, você fez a sua parte, continue assim, não deixe de ser alegre e gentil. O tempo passa e sempre faço meu filho relembrar essa situação, ou seja, ser gentil não pode depender do outro, não pode ser uma moeda de troca, tem que ser uma escolha pessoal, um entendimento de que podemos fazer a nossa parte e contribuir sim para um mundo melhor. Ser gentil é saber que “gentileza gera gentileza”. Se alguém foi áspero contigo, seja gentil com ele. Ser gentil é saber colocar-se no lugar do outro para encontrar a melhor forma de responder a uma indelicadeza, sem ser indelicado, mas deixando claro que não gosta de ser tratado de tal forma.
    Não confundam, por favor, GENTILEZA com falsidade, seja autêntico, tenha sua opinião bem formada, não precisa ser “Maria vai com as outras”, ”bobo” ou qualquer outro adjetivo. Ser gentil é não falar em tom de deboche e gozação que o novo corte de cabelo de seu colega não ficou bom. É discretamente avisar sua amiga que está com um temperinho nos dentes, sem que todo o departamento saiba, é sorrir para as pessoas da limpeza, o porteiro, o zelador...é não rir da desgraça alheia, não sentir prazer no sofrimento do outro.
   Nosso tom de voz faz também uma diferença enorme, eu sempre usei o seguinte exemplo com meus alunos: Se eu chego aqui e digo “BOM DIA” de forma alegre, firme e sorridente, terei mais chance de conquistar vocês, se eu chego e uso exatamente as mesmas palavras de maneira grosseira, ríspida e mal humorada, o resultado será bem diferente, e nosso dia fica determinado pelo tom de voz que foi usado no inicio.
  Esse assunto renderia muitas e muitas páginas, basta lembrar pequenos gestos de nosso dia para percebermos que muitas vezes nem notamos que fomos INDELICADOS, e que se nossa atitude inicial tivesse sido diferente, a resposta seria outra com certeza.
   Leonardo Boff tem uma frase maravilhosa: “Não serão nossos gritos a fazer a diferença e sim a força contida em nossas mais delicadas e íntegras ações”.

  Rosana Braga, Escritora, Jornalista e Consultora em Relacionamentos, em seu livro “O poder da gentileza”, nos dá 10 dicas para facilitar a prática da gentileza. Diz ela: “Creio que se conseguirmos incorporar pelo menos algumas dessas ações, nossa vida já se tornará bem mais leve e gostosa.”
1. Tente se colocar no lugar do outro. Isso o ajuda a entender melhor as pessoas, seu modo de pensar e agir.
2. Aprenda a escutar. Ouvir é muito importante para solucionar qualquer desavença ou problema
3. Pratique a arte da paciência. Evite julgamentos e ações precipitadas.
4. Peça desculpas. Isso pode prevenir a violência e salvar relacionamentos.
5. Pense positivo. Procure valorizar o que a situação e o outro têm de bom e perceba que este hábito pode promover verdadeiros milagres.
6. Respeite as pessoas quando elas pensarem e agirem de modo diferente de você. As diferenças são uma verdadeira riqueza para todos.
7. Seja solidário e companheiro. Demonstre interesse pelo outro, por seus sentimentos e por sua realidade de vida
8. Analise a situação. Alcançar soluções pacíficas depende de se descobrir a raiz do problema.
9. Faça justiça. Esforce-se para compreender as diferenças e não para ganhar, como se as eventuais desavenças fossem jogos ou guerras.
10. Mude a sua maneira de ver os conflitos. A gentileza nos mostra que o conflito pode ter resultados positivos e ainda tornar a convivência mais íntima e confiável.